quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo




Colhe o Dia, porque És Ele


Uns, com os olhos postos no passado, 
Vêem o que não vêem: outros, fitos
Os mesmos olhos no futuro, vêem
O que não pode ver-se.

Por que tão longe ir pôr o que está perto —
A segurança nossa? Este é o dia,
Esta é a hora, este o momento, isto
É quem somos, e é tudo.

Perene flui a interminável hora
Que nos confessa nulos. No mesmo hausto
Em que vivemos, morreremos. Colhe
O dia, porque és ele.

Ricardo Reis, in "Odes"
Heterónimo de Fernando Pessoa

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Na Minha Mente



Progride e retrocede, gira a esquerda ou inflecte a direita, remoinha e abranda, eleva-se e cai, ecoa e cessa…deambula, acalma-se e foca…a mente é a perpétua mudança, o caminho que não acaba, o que nos move…mas é também o Nada…

Nada é e nada somos, se não vivemos em absoluto, tudo não passa de um efémero lampejar tal qual um qualquer mero figurante, na peça mais imprevisível e indispensável que é a nossa própria vida, quando esta se resume a dizer presente sem a certeza do nosso desempenho e nos encontramos perdidos no tempo e no esquecimento. Em muitas ocasiões debatemo-nos num inenarrável número de interacções, mas que no seu real valor nada representam, pois, o “mundo” absorve-nos, molda-nos e retira-nos a nossa essência sonhadora e verdadeira razão de existir, o Sentimento.
Quando sentimos no mais íntimo do nosso inner self, as várias realidades que consumamos, palpitamos com elas, aprofundamo-las e damos o nosso melhor, ultrapassando por vezes as expectativas por nós “impostas”, contudo, quando apenas efectivamos as tarefas sem fruição, tudo é perdido, pois, não lhes dá-mos alma, nem alento e embora sejam terminadas não traduzem qualquer significado autêntico.
Existe, pois, qualquer razão plausível para justificar o porquê de partilha de vidas sem sentimentos? Coexistir sem harmonia face aos nossos ideais e sentimentos? Viver a vida pela vida e não pela sua essência?
Questões ambíguas onde se pode inferir o que talvez seja um desígnio já há muito traçado, perdemo-nos da premissa base da coerência dualista de seres, de ideias e ideais análogos, e quando não conseguimos animar alma e espírito, não sabemos procurar de novo o rumo, perdemo-nos.
Quiçá exista um medo velado no âmago de cada um, traduzido numa negação existencial do ergo sum como um todo, preceituado num resultado dicotómico final desprovido de um acompanhamento qualquer que seja, e vivamos na realidade do mais ínfimo átomo do nosso ser, o ideal enganoso e conclusivo que todos somos conformes, quando na realidade os modelos de uns são completamente diversos dos de outrem.
Assistimos a um estigma global onde nos realizamos em existências completamente carecidas de sentido e sentimento, acomodadas a sonhos não materializados mas vinculativos até ao termo dos dias. Fantasias perdidas, ideais corrompidos e uma vida apartada dos ideais, das ideias e dos sentimentos que almejávamos cumprir, no intuito auto-realístico de exacerbar o ego.
E neste emaranhado equacional, o amor…será que existe? …ou perdeu-se à nascença?
Ab Initio idealizamos premissas idealísticas superiores, inflamadas e irreais, nas quais cremos veementemente de forma quase devota e das quais não nos podemos apartar. Contudo, o tempo projecta-se em nós e o cognominado olvido (maneira sub-reptícia de nos enganarmos), força-nos a acelerar por caminhos e trajectos distintos aos delineados originalmente e passamos a viver noutro registo… consumimos as “asas” que nos sustentavam no etéreo “mundo do amor” e completamos a queda para o círculo menor…digamos que nos cometemos a uma escolha pela qual nunca devíamos (por um sequer vislumbre momentâneo ter optado), pois, quando já não nos temos que elevar no firmamento e olhar o nimbo pelo qual ansiávamos para ascendermos ao limiar superior, vagueamos com um qualquer “demo” que nos agasta, corrompe e consome emocionalmente, coexistindo num cosmos exasperado e exangue de conformidade.
Destruímos, desta forma aviltante, a verdadeira essência do eu, ao nos desencontrarmos porventura dessa deidade que ecoaria no nosso ser como “panaceia” existencial, com interesses e desígnios semelhantes, permutando-a por uma existência alternativa, ignóbil e sofrível numa permanência ad aeternum, culpados por não diligenciar com demora, espírito e talento o que nos funde e liga, o Sentimento.

São, portanto, estes os desígnios da mente, a eterna procura e a eterna mudança, porém…a razão perde-se onde o Sentimento é… e o abstracto toma forma quando utilizamos esta sensibilidade para moldar a nossa existência.


UnKnown Soldier

Pixies - Where Is My Mind



Oh - stop

With your feet in the air and your head on the ground
Try this trick and spin it, yeah
Your head will collapse
But there's nothing in it
And you'll ask yourself

Where is my mind
Where is my mind
Where is my mind

Way out in the water
See it swimmin' ?

I was swimmin' in the Caribbean
Animals were hiding behind the rocks
Except the little fish
But they told me, he swears
Tryin' to talk to me, coy koi.

Where is my mind
Where is my mind
Where is my mind

Way out in the water
See it swimmin' ?

With your feet in the air and your head on the ground
Try this trick and spin it, yeah
Your head will collapse
If there's nothing in it
And you'll ask yourself

Where is my mind
Where is my mind
Where is my mind


Way out in the water
See it swimmin' ?


Oh
With your feet in the air and your head on the ground
Oh
Try this trick and spin it, yeah
Oh
Oh

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

A Dream Within A Dream



Take this kiss upon the brow!
And, in parting from you now,
Thus much let me avow--
You are not wrong, who deem
That my days have been a dream;
Yet if hope has flown away
In a night, or in a day,
In a vision, or in none,
Is it therefore the less gone?
All that we see or seem
Is but a dream within a dream.

I stand amid the roar
Of a surf-tormented shore,
And I hold within my hand
Grains of the golden sand--
How few! yet how they creep
Through my fingers to the deep,
While I weep--while I weep!
O God! can I not grasp
Them with a tighter clasp?
O God! can I not save
One from the pitiless wave?
Is all that we see or seem
But a dream within a dream? 

Edgar Allan Poe

U2 - Love is Blindness


Love is blindness
I don't wanna see
Won't you wrap the night
Around me?
Oh my heart
Love is blindness

In a parked car
In a crowded street
You see your love
Made complete
Thread is ripping
The knot is slipping
Love is blindness

Love is clockworks
And cold steel
Fingers too numb to feel
Squeeze the handle
Blow out the candle
Love is blindness

Love is blindness
I don't want to see
Won't you wrap the night
Around me?
Oh my love Blindness

A little death
Without mourning
No call
And no warning
Baby, a dangerous idea
That almost makes sense
Love is drowning
In a deep well
All the secrets
And no one to tell
Take the money
Honey
Blindness

Love is blindness
I don't want to see
Won't you wrap the night
Around me?
Oh my love
Blindness.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

A Entrega Real




"Enfim, enfim quebrara-se realmente o meu invólucro, e sem limite eu era. Por não ser, era. Até ao fim daquilo que eu não era, eu era. O que não sou eu, eu sou. Tudo estará em mim, se eu não for; pois "eu" é apenas um dos espasmos instantâneos do mundo. Minha vida não tem sentido apenas humano, é muito maior - é tão maior que, em relação ao humano, não tem sentido. Da organização geral que era maior que eu, eu só havia até então percebido os fragmentos. Mas agora, eu era muito menos que humana - e só realizaria o meu destino especificamente humano se me entregasse, como estava me entregando, ao que já não era eu, ao que já é inumano.E entregando-me com a confiança de pertencer ao desconhecido. Pois só posso rezar ao que não conheço. E só posso amar à evidência desconhecida das coisas, e só me posso agregar ao que desconheço. Só esta é que é uma entrega real."

Clarice Lispector, in "A Paixão Segundo G.H"

Pedro Abrunhosa - Eu estou aqui



Escrevemos o nome no céu
Com mil passos de dança por dar
E mostraste-me um mundo só teu
Com promessas de ir e voltar

E eu, estou aqui
Eu estou aqui
E eu, estou aqui
E eu, estou aqui

Trouxeste tanto que me querias contar
Sobre as cidades que há no fundo do mar

e eu, estou aqui
eu estou aqui

Estamos tão perto de estar tão longe
Como dois loucos na madrugada
Se me dás tudo, ficas com nada
E abrem-se janelas em nós

Acendi as palavras na pele
Em tatuagens brilhantes de azul
E pousaste-me um beijo fiel
Em telhados de vento e de sul

E eu, estou aqui
Eu estou aqui
E eu, estou aqui
Eu estou aqui

Trouxeste tanto que me querias contar
Sobre as cidades que há no fundo do mar

E eu, estou aqui
Eu estou aqui

Estamos tão perto de estar tão longe
Como dois loucos na madrugada
Se me dás tudo, ficas com nada
E abrem-se janelas em nós

Eu estou aqui
E eu, estou aqui
Eu estou aqui
Eu estou aqui
Eu estou aqui
Eu estou aqui
Eu estou aqui
E eu, estou aqui

domingo, 27 de dezembro de 2009

Aos Olhos do Mundo




"Não sei como pareço aos olhos do mundo, mas eu mesmo vejo-me como um pobre garoto que brincava na praia e se divertia em encontrar uma pedrinha mais lisa uma vez por outra, ou uma concha mais bonita do que de costume, enquanto o grande oceano da verdade se estendia totalmente inexplorado diante de mim."


Newton , Isaac in "Memoirs of Newton"

Pearl Jam - Oceans




Hold on to the thread
The currents will shift
Glide me towards...
You know something's left
And we're all allowed
To dream of the next
Oh, ohh the next, time we touch...

Oooh...

Oooh...
Oooh...
Oooh...

You don't have to stray
The oceans away
Waves roll in my thoughts
Hold tight the ring...
The sea will rise...
Please stand by the shore...
Oh, oh, oh, I will be...
I will be there once more...

Oooh...

Oooh...
Oooh...
Oooh...
Uh huh, oh yeah... 

Uh huh, oh yeah...

sábado, 26 de dezembro de 2009

Entre o Luar e a Folhagem



Entre o luar e a folhagem, 


Entre o sossego e o arvoredo,
Entre o ser noite e haver aragem
Passa um segredo.
Segue-o minha alma na passagem.

Tênue lembrança ou saudade, 


Princípio ou fim do que não foi,
Não tem lugar, não tem verdade.
Atrai e dói.
Segue-o meu ser em liberdade.


Vazio encanto ébrio de si,


Tristeza ou alegria o traz?
O que sou dele a quem sorri?
Nada é nem faz.
Só de segui-lo me perdi.


Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

Roy Orbison - She's a Mystery to Me

Darkness falls and she
Will take me by the hand
Take me to some twilight land
Where all but love is gray
Where I can find my way
Without her as my guide

Night falls, I’m cast beneath her spell
Daylight comes, our heaven turns to hell
Am I left to burn
And burn eternally
She’s a mystery to me

She’s a mystery girl
She’s a mystery girl

In the night of love
Words tangled in her hair
Words soon to disappear
A love so sharp it cut
Like a switchblade to my heart
Words tearing me apart

She tears again my bleeding heart
I want to run, she’s pulling me apart
Fallen angel cries
And I just move away

She’s a mystery to me

She’s a mystery girl
She’s a mystery girl
She’s a mystery girl
She’s a mystery girl

Haunted by her side
It’s the darkness in her eyes
That so enslaves me
But if my love is blind
Then I don’t want to see
She’s a mystery to me

Night falls, I’m cast beneath her spell
Daylight comes, our heaven turns to hell
Am I left to burn
And burn eternally
She’s a mystery to me

She’s a mystery girl
She’s a mystery girl
She’s a mystery girl
She’s a mystery girl
She’s a mystery girl

She’s a mystery girl
She’s...a mystery girl
She’s a mystery girl
She’s a mystery girl
She’s...a mystery girl


sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Dia de Natal





Albanês - Gezur Krislinjden
Alemão - Frohe Weihnacht
Armênio - Shenoraavor Nor Dari yev Pari Gaghand
Bretão - Nedeleg laouen
Catalão - Bon Nadal
Coreano - Chuk Sung Tan
Croata - Čestit Božić
Espanhol - Feliz Navidad
Esperanto - Gajan Kristnaskon
Finlandês - Hyvää joulua
Francês - Joyeux Noël
Grego - Kala Christougena
Magiar - Kellemes Karácsonyt
Inglês - Merry Christmas
Italiano - Buon Natale
Japonês - Merii Kurisumasu (modificação de merry xmas)
Mandarim - Kung His Hsin Nien
Norueguês - God Jul
Occitan - Buon Nadal
Polaco - Wesołych Świąt Bożego Narodzenia
Português - Feliz Natal
Romeno - Sarbatori Fericite
Russo - S prazdnikom Rozdestva Hristova
Checo - Klidné prožití Vánoc
Sueco - God Jul
Ucraniano - Srozhdestvom Kristovym

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Heroes del Silencio - Decadencia



La decadencia está prohibida en tu mente... 
la caída pierde altura, por momentos...
El templo del sol, estalló... Nunca podré saber... si la cruz...¡es salvación!

La casa iluminada espera que alguien entre, el martirio inocente que siempre... se ha de malinterpretar.

El templo del sol, estalló... Nunca podré saber... si la cruz... ¡es salvación!

Es la mala hora...
Condenado estoy....
Es la mala hora...
Condenado estoy....
Cien pájaros, hambrientos, anuncian la aurora...
Es la mala hora... mi jodida suerte...terminó....

Y en tu ausencia las paredes se pintarán de tristeza y enjaularé mi corazón entre tus huesos...
Y en tu ausencia las paredes se pintarán de tristeza y enjaularé mi corazón entre tus huesos...
¡Dejadme oir, cómo late el corazón!

You ain't nothin' but a hound dog,
rockin' all the time...
You ain't nothin' but a hound dog
rockin' all the time...
Ohhh well, you ain't never caught a rabbit,
and you ain't no friend of mine.
Hound dog,
cryin' all the time.
You ain't never caught a hound dog,
cryin' all the time.
You ain't never caught a rabbit,
and you ain't no friend of mine.

Que lejos, estoy del suelo, donde he nacido.
Inmensa nostalgia invade... mi pensamiento.... 
Y al verme tan solo y triste... cual hoja al viento...
¡¡QUISIERA LLORAR, QUISIERA MORIR, COMO KURT COBAIN... DE SENTIMIENTO...

Pero no olviden supervitaminarse y mineralizarse...

Porque... la decadencia, está prohibida, en nuestras jodidas mentes.

Oh...

La decadencia está prohibida... 
La decadencia está prohibida...
La caída pierde altura...
¡¡Por momentos, por momentos. La caída pierde altura, momento...a momento...!! 
A momento...a momento...

¡Muchísimas gracias! 
Esto ha sido todo. 
Nos vemos en... la gira del próximo milenio.

Nosotros somos Héroes Del Silencio...

Al fondo a la batería, Mister Pedro Andréu.

En el bajo, Joaquín Cardiel.

En la guitarra rítmica, el Azteca de Oro, Alan Boguslavsky.
En la guitarra solista el Maestro, Juan Valdivia.

Hasta siempre, muchísimas gracias, un servidor, Enrique Bunbury 
¡Y Ustedes Madrid, un público... único!

Elogio de lo Irreparable


Sé involuntaria. Sé febril. Olvida
sobre la cama hasta tu propio idioma.
No pidas. No preguntes. Arrebata y exige.
Sé una perra. Sé una alimaña.
Resuella busca abrasa brama gime.
Atérrate, mete la mano en el abismo.
Remueve tu deseo como una herida fresca.
Piensa o musita o grita «¡Venganza!»


Sé una perdida, mi amor, una perdida.
En el amor no existe
lo verdadero sin lo irreparable.

Félix Grande


terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Enrique Bunbury - Sacame de Aqui



Sácame de aquí
No me dejes solo
O todo el mundo esta loco
O dios es sordo

Dicen que si continuas
Algún un lugar llegarás
Debe hacer falta
Bastante caminar

No soy mala hierba
Sólo hierba en mal lugar
Cabeza de calabaza
El martes de carnaval

Hubo un momento en que pudimos
Decir que no, que lo sentimos
Nos debimos confundir

Escribiremos nuevas reglas
Esta es la primera de ellas
Está prohibido prohibir

Sácame de aquí
No me dejes solo
O todo el mundo está loco
O dios es sordo

Sacamé de aquí
No me dejes solo
No entiendo que nos pasa a todos
Hemos perdido la razón

Nos hemos equivocado
Teniendo toda la razón
Aun podemos ser libres
Dentro de una canción

Hubo un momento en que pudimos
Decir que no, que lo sentimos
Nos debimos confundir

Escribiremos nuevas reglas
Esta es la primera de ellas
Está prohibido prohibir

Sácame de aquí
No me dejes solo
O todo el mundo esta loco
O dios es sordo

Sácame de aquí
No me dejes solo
No entiendo que nos pasa a todos
Hemos perdido la razón

Sácame, sácame...
Sácame de aquí
No me dejes, no me dejes...
Tan solo...

Sácame de aquí

Atardecer


Siento mi corazón en la dulzura
fundirse como ceras:
son un óleo tardo
y no un vino mis venas,
y siento que mi vida se va huyendo
callada y dulce como la gacela.

Gabriela Mistral

Ed Vedder - Can't keep


I wanna shake, I wanna wind out
I wanna leave this mind and shout
I've lived all this life
like an ocean in disguise
I don't live forever
you can't keep me here...
I wanna race with the sundown
I want a last breath that I don't let out
forgive every being
the bad feelings, it's just me
I won't wait for answers
you can't keep me here...
I wanna rise and say a-goodnight
I wanna take a look on the other side
I've lived all these lives
it's been wonderful at night
I will live forever
you can't keep me here...

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

La Fontaine de Sang


Il me semble parfois que mon sang coule à flots,
Ainsi qu'une fontaine aux rythmiques sanglots.
Je l'entends bien qui coule avec un long murmure,
Mais je me tâte en vain pour trouver la blessure.
A travers la cité, comme dans un champ clos,
Il s'en va, transformant les pavés en îlots,
Désaltérant la soif de chaque créature,
Et partout colorant en rouge la nature.

J'ai demandé souvent à des vins captieux
D'endormir pour un jour la terreur qui me mine;
Le vin rend l'oeil plus clair et l'oreille plus fine!

J'ai cherché dans l'amour un sommeil oublieux;
Mais l'amour n'est pour moi qu'un matelas d'aiguilles
Fait pour donner à boire à ces cruelles filles!

Charles Baudelaire (1821- 1867)

Collective Soul - Run


Are these times contagious
I've never been this bored before
Is this the prize I've waited for
Now as the hours passing
There's nothing left here to insure
I long to find a messenger

Have I got a long way to run
Have I got a long way to run
Yeah, I run

Is there a cure among us
From this processed sanity
I weaken with each voice that sings
In this world of purchase
I'm going to buy back memories
To awaken some old qualities

Have I got a long way to run
Have I got a long way to run
Yeah, I run
Yeah, I run

Have I got a long way?
Have I got a long way?
Have I got a long way to run?
Have I got a long way to run?

Yeah, I run
(Have I got a long way to run?)
Yeah, I run
(Have I got a long way to run?)
Yeah, I run
(Have I got a long way to run?)
Yeah, I run
(Have I got a long way to run?)

domingo, 20 de dezembro de 2009

Percepção dos sentimentos

Faz muito tempo que calcorreio, trilhos, caminhos e estradas
Faz muito tempo que Prometeu nos ofertou a Chama Divina
Faz muito tempo que me perdi nos confins das montanhas
Faz muito tempo que inflamamos Alma e Coração
Mas logo tudo se desvanece e finda
À medida que tacteio o mundo
Ascendo na senda do meu destino
Tropeço inúmeras vezes nas suas pedras milenares
Caio e sem me lamuriar
Levanto-me
Quero ver
Estou algures ou nenhures
Nada vejo, estou só
Procuro encontrar-me
Mas…é-me difícil
Estou envolvido…
No interior de uma espessa…
Névoa…


Unknown Soldier




sábado, 19 de dezembro de 2009

La Unión - Hombre Lobo en Paris


Cada noche llaman desde París
en el día en que todo ocurrió
Como un sueño de locos sin fin
La fortuna se ha reído de tí
y de mí
La luna llena sobre París
Cada noche llaman desde París
en el día en que todo ocurrió
Como un sueño de locos sin fin
La fortuna se ha reído de tí
Sorprendido espiando
el lobo escapa aullando
y es mordido
por el mago del Siam
(La luna llena sobre París)
Auuuu
ha transformado en hombre a Denis
Rueda por los bares del bulevar
se ha alojado en un sucio hostal
Mientras está cenando
junto a él se ha sentado
una joven
con la que irá a contemplar
(La luna llena sobre París)
Auuuu
Algunos francos cobra Denis
Auuuu
Lobo-hombre en París
Auuuu
Su nombre: Denis
La luna llena sobre París
Auuuu
ha transformado en hombre a Denis
(Lobo-hombre en París)
¡A ver ese aullido!
(Auuuu)
Lobo-hombre en París
¿Harías otro por mí?
(Auuuu)
Su nombre: Denis
¡Vente conmigo!
Mientras está cenando
junto a él se ha sentado
una joven
con la que irá a contemplar
La luna llena (sobre París)
Auuuu
ha transformado en hombre a Denis
Auuuu
Lobo-hombre en París
Auuuu
Su nombre: Denis

¿Qué diera?

Amaia Salamanca


¿Qué diera?
Por volver a verte
Capullo de estrella,
Diluvio de amor
La sonrisa mas bella
Que opaca hasta el sol.

Tus ojos destellos
De gran esplendor
Que brillan en la noche
Sedientos de amor.

¿Qué diera?
Si en todo el mundo
No hay nada
Que compre tus suenos
Que compre un suspiro
Que compre el delirio
De estar junto contigo
No puedo negarlo y
No puedo decirlo
La emocion
Que siento
Cuando de mi pecho
Nace un suspiro.

Suspiro de amor
De un gran idilio
Nacido entre los dos
Para estar para siempre unidos.

Manuel Cifuentes

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

AVATAR


A história do filme inicia-se na Terra com o recrutamento de Jake Sully, um cabo fuzileiro que está paralisado das pernas, tendo-lhe sido dada a oportunidade de trabalhar numa exploração mineira no Planeta Pandora, pois possui o mesmo código genético que o seu irmão, que devido a um infortúnio morreu.
Jake aceita, assim, partir para Pandora (uma lua orbitando o planeta gasoso Poliphemus em Alfa Centauro). Planeta muito parecido com os primórdios do planeta Terra, mas detentor de formas de vida incríveis e de uma densa vegetação, bastante sui generis, que o torna num lugar de beleza indescritível, onde as florestas são densas, com inúmeras cores e formas, produzindo luz à noite, recriando um jardim de sonhos. Mas Pandora é, ao mesmo tempo, um local exuberante e hostil para quem não conhece o seu âmago, uma vez que o seu ar é venenoso para os humanos e a sua fauna e flora são bastante perigosas.
Habitado por uma raça humanóide mais primitiva (tecnologicamente falando) que os humanos, contudo extremamente mais sábia, e que vive pacificamente nas suas florestas, os Na´vi, são humanóides azuis com mais de três metros, e que há muito demonstraram não ter qualquer simpatia para com os humanos e as máquinas que estes para lá transportaram.
Devido ao planeta ser um lugar tão adverso aos humanos pois não podem respirar directamente o seu ar, os exércitos tradicionais são insuficientes para protegerem a exploração mineira, dai ter existido a necessidade de criar através de um programa, "clones", denominado AVATAR.
Os Avatares são a combinação de ADN humano e de Na´vi, tornando-os corpos híbridos, com o intuito de poderem operar livremente no exterior. Na sua essência o resultado final do Avatar é um Na´vi, que por sua vez pode preservar a percepção de um ser humano, pois, são controlados por “pilotos” humanos, que projectam a sua consciência nesses corpos, vivendo Pandora através deles.
Assim, quando Jake chega a Pandora…



O melhor é ver o filme e em 3D.

Juliette Lewis - Hardly Wait


I can hardly wait

It's been so long
I've lost my taste
Say angel come
Say lick my face
Let fall your dreams
I'll play the part
I'll open this mouth wide
Eat your heart

I can hardly wait

Lips cracked, dry
Toungue blue burst
Say angel come
Say lick my thirst
It's been so long
I've lost my taste
Here Romeo
Make my world as great

In my glass coffin
I'm waiting

Jeux



Ah ! la Lune, la Lune m'obsède...
Croyez-vous qu'il y ait un remède ?

Morte ? Se peut-il pas qu'elle dorme
Grise de cosmiques chloroformes ?

Rosace en tombale efflorescence
De la Basilique du Silence,

Tu persistes dans ton attitude,
Quand je suffoque de solitude!

Oui, oui, tu as la gorge bien faite ;
Mais, si jamais je ne m'y allaite ?...

Encore un soir, et mes berquinades
S'en iront rire à la débandade,

Traitant mon platonisme si digne
D'extase de pêcheur à la ligne !

Salve Régina des Lis ! reine,
Je te veux percer de mes phalènes !

Je veux baiser ta patène triste,
Plat veuf du chef de Saint Jean Baptiste !

Je veux trouver un lied ! qui te touche
A te faire émigrer vers ma bouche !

- Mais, même plus de rimes à Lune...
Ah ! quelle regrettable lacune !

Jules LAFORGUE (1860-1887)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Iggy Pop - The Passenger


I am the passenger
And I ride and I ride
I ride through the city's backsides
I see the stars come out of the sky
Yeah, they're bright in a hollow sky
You know it looks so good tonight
I am the passenger
I stay under glass
I look through my window so bright
I see the stars come out tonight
I see the bright and hollow sky
Over the city's a rip in the sky
And everything looks good tonight
Singin' la la la la lalalala...
Get into the car
We'll be the passenger
We'll ride through the city tonight
We'll See the city's ripped backsides
We'll see the bright and hollow sky
We'll see the stars that shine so bright
The sky was made for us tonight
Oh the passenger
How how he rides
Oh the passenger
He rides and he rides
He looks through his window
What does he see?
He sees the stars and hollow sky
He see the stars come out tonight
He sees the city's ripped backsides
He sees the winding ocean drive
And everything was made for you and me
All of it was made for you and me
'cause it just belongs to you and me
So let's take a ride and see what's mine
Singing... la la la la lalalala...
Oh, the passenger
He rides and he rides
He sees things from under glass
He looks through his window's eye
He sees the things he knows are his
He sees the bright and hollow sky
He sees the city asleep at night
He sees the stars are out tonight
And all of it is yours and mine
And all of it is yours and mine
So let's ride and ride and ride and ride...
Singing... la la la la lalalala...

Achievement


"Trust yourself. Create the kind of self that you will be happy to live with all your life. Make the most of yourself by fanning the tiny, inner sparks of possibility into flames of achievement."

Foster C. McClellan

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Pearl Jam - Jeremy



At home
Drawing pictures
Of mountain tops
With him on top
Lemon yellow sun
Arms raised in a V
Dead lay in pools of maroon below
Daddy didn't give attention
To the fact that mommy didn't care
King Jeremy the wicked
Ruled his world
Jeremy spoke in class today
Jeremy spoke in class today
Clearly I remember
Pickin' on the boy
Seemed a harmless little fuck
But we unleashed a lion
Gnashed his teeth
And bit the recessed lady's breast
How could i forget
He hit me with a surprise left
My jaw left hurtin
Dropped wide open
Just like the day
Like the day i heard
Daddy didn't give affection
And the boy was something mommy wouldn't wear
King jeremy the wicked
Ruled his world
Jeremy spoke in class today
Jeremy spoke in class today
Try to forget this...
Try to erase this...
From the blackboard.

Destino


"O destino conduz o que consente e arrasta o que resiste"
Séneca

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Espírito do Karate

karate wa Karada no kawashi te no sabaki
O Espírito do Karate é ordenado pela acção do corpo e impelido pela mão.

Kenwa Mabuni

Smashing Pumpkins - Disarm



Disarm you with a smile
And cut you like you want me to
Cut that little child
Inside of me and such a part of you
Ooh, the years burn

I used to be a little boy
So old in my shoes
And what i choose is my choice
What's a boy supposed to do?
The killer in me is the killer in you
My love
I send this smile over to you

Disarm you with a smile
And leave you like they left me here
To wither in denial
The bitterness of one who's left alone
Ooh, the years burn
Ooh, the years burn, burn, burn

I used to be a little boy
So old in my shoes
And what I choose is my voice
What's a boy supposed to do?
The killer in me is the killer in you
My love
I send this smile over to you

The killer in me is the killer in you
Send this smile over to you
The killer in me is the killer in you
Send this smile over to you
The killer in me is the killer in you
Send this smile over to you

domingo, 13 de dezembro de 2009

Peter Murphy - Cascade


We have no image
We're just called the good friends
We call the madmen back
As they fly to the ant hills
We never know, we never know
We sleep in satin nights
Throwing energy like bluebirds
In twilight

We call to stillness
As we kiss the water king's hand
We hear the one same name
As the darker the land gets
We never know, we never know
We're fueling for the light
Cascading like the rain
In twilight

Waiting for you, you look so close, we walk
a thousand stairs
Aching for your hand, our love a distant
voice, we have no image - we are light

We are not asking
No favors from the dead
We wash with moonlit hands
On the shores of our island
We never know, we never know
We sleep in satin nights
Throwing energy in silver curves
In twilight

Coisas, Pequenas Coisas


Fazer das coisas fracas um poema.

Uma árvore está quieta,
murcha, desprezada.
Mas se o poeta a levanta pelos cabelos
e lhe sopra os dedos,
ela volta a empertigar-se, renovada.
E tu, que não sabias o segredo,
perdes a vaidade.
Fora de ti há o mundo
e nele há tudo
que em ti não cabe.

Homem, até o barro tem poesia!
Olha as coisas com humildade.

Fernando Namora, in "Mar de Sargaços"


sábado, 12 de dezembro de 2009

Star Wars - Paixão, agora em Gaia


O Universo Star Wars encontra-se em Gaia no El Corte Inglés desde 20 de Novembro e ai permanecerá até 31 de Dezembro. Numa área de 1.200 m2 podemos encontrar inúmeros artefactos usados na rodagem dos filmes que constituem a saga Star Wars, bem como miniaturas e dioramas, peças de coleccionismo e toda a parafernália de peças que fazem parte do imaginário de gerações de fãs da série criada por George Lucas.Durante os 41 dias em que a exposição Star Wars vai poder ser visitada mais de 30 anos da história do cinema,serão retratados numa mostra única a qual reúne mais de duas mil peças consideradas "vintage", expressão que no mundo dos coleccionadores se refere ao período compreendido entre os anos de 1977 e 1985, tais como capacetes restaurados, réplicas de armaduras, etc.Para animar o "festival" Star Wars estão programados uma série de eventos alusivos ao tema e que todos os dias irão ser apresentados como por exemplo a Escola Jedi (um espaço lúdico em que os mais jovens são convidados a ter aulas com cavaleiros Jedi), com o intuito de se tornarem especialistas no controlo da "força" e no manejo dos sabre laser e combater as forças do mal, personificadas pelo Imperador Darth Sidous e no seu sinistro "aprendiz" Darth Vader.
A todos aqueles amantes incondicionais desta Saga dos seus Cavaleiros Jedi, Darth Vader e tantos outros, relembro-lhes os "velhinhos" episódios IV, V e VI com que "todo este mundo" começou:

Episódio IV - A New Hope


Episódio V - The Empire Strikes Back


Episódio VI - Return of the Jedi


Até que George Lucas teve a brilhante idéia de dar continuidade a Saga e realizou um flashback magistral oferecendo-nos os episódios I, II e III, com "efeitos especiais" únicos:

Episódio I - The Phantom Menace


Episódio II - Attack of the Clones


Episódio III - Revenge of the Sith


"MAY THE FORCE BE WITH YOU"

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Memória


"Vive a tua memória e assombra-te."

Kerouac , Jack

Mémoires


King Henry, V speech

"And Crispin Crispian shall ne'er go by,
From this day to the ending of the world,
But we in it shall be remember'd;
We few, we happy few, we band of brothers;
For he to-day that sheds his blood with me
Shall be my brother; be he ne'er so vile,
This day shall gentle his condition:
And gentlemen in England now a-bed
Shall think themselves accursed they were not here,
And hold their manhoods cheap whiles any speaks
That fought with us upon Saint Crispin's day."

Shakespeare in "King Henry V"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Filosofia


"O primeiro raciocínio do homem é de natureza sensitiva...: os nossos primeiros mestres de filosofia são os nossos pés, as nossas mãos, os nossos olhos."

Rousseau , Jean Jacques

Billy Idol - Eyes Without a Face



I'm all out of hope
One more bad break
could bring a fall
When I'm far from home
Don't call me on the phone
To tell me your alone
It's easy to deceive
It's easy to tease
But hard to get release
Les yeux sans visage eyes without a face
Les yeux sans visage eyes without a face
Les yeux sans visage eyes without a face
Got no human grace your eyes without a face.
I spend so much time
Believing all the lies
To keep the dream alive
Now it makes me sad
It makes me mad at truth
For lovin' what was you.
Les yeux sans visage eyes without a face
Les yeux sans visage eyes without a face
Les yeux sans visage eyes without a face
Got no human grace your eyes without a face.
When you hear the music you make a dip
Into someone else's pocket then make a slip
Steal a car and go to Las Vegas oh,
the gigolo pool.
Hangin' out by the state line,
Turnin Holy water into wine,
Drinkin it down oh,
I'm on a bus on a psychedelic trip
Reading murder books tryin' to stay hip.
I'm thinkin' of you you're out there so
Say your prayers.
Say your prayers.
Say your prayers.
Now I close my eyes
And I wonder why
I don't despise
Now all I can do
Is love what was once
So alive and new
But it's gone from your eyes
I'd better realise
Les yeux sans visage eyes without a face
Les yeux sans visage eyes without a face
Les yeux sans visage eyes without a face
Got no human grace your eyes without a face.
Such a human waste your eyes without a face
And now it's getting worse.

WHO AM I ???

A minha foto
Wait until the war is over And we're both a little older The unknown soldier