sexta-feira, 5 de outubro de 2007

SAMURAI

O nome "samurai" significa, em japonês, "aquele que serve". Portanto, a sua maior função era servir, com total lealdade e empenho, os Daimyo (senhores feudais) que os contratavam. Em troca dos seus serviços recebiam privilégios tais como terras e/ou pagamentos (geralmente eram efetuados em arroz, numa medida denominada koku (200 litros)).
Contudo o termo mais apropriado para Samurai é bushi (武士) (cujo o significado literal é "guerreiro ou homem de armas") denominação usada durante o período Edo. Pode-se dizer, no entanto, que o termo "Samurai" refere-se normalmente à nobreza guerreira e não ao comum soldado de infantaria alistado.
Um samurai sem ligações a um clan ou Daimyo era denominado de Ronin (literalmente "homem-onda", significando que se tratava de um guerreiro errante como uma onda perdida no meio do oceano).
Os Samurais existiram durante quase oito séculos (séc. VIII ao XIX), ocupando o mais elevado estatuto social durante a existência da ditadura militar nipônica denominada Shogunato. Eram pessoas treinadas desde muito pequenas para seguir o Bushido, o Caminho do Guerreiro.
O Samurai era uma pessoa muito orgulhosa, fazendo sempre pervalecer os seus valores daí que se seu nome fosse desonrado ele prontamente executaria o harakiri ou seppuku (suicídio honrado de um samurai no qual usa uma tanto (faca) ou Wakizashi (espada pequena), enfiando-a no estômago cortanto o ventre diagonalmente para cima), sendo pois preferível morrer com honra do que viver sem esta.
Inicialmente, os samurais eram apenas coletores de impostos e servidores civis do Império. Era um período marcial em que eram precisos homens fortes e qualificados para estabelecer a ordem e muitas vezes ir contra a vontade da população em geral (camponeses).
Posteriormente, por volta do século X, foi oficializado o termo "samurai", e este ganhou uma série de novas funções, como a militar. Nessa época, qualquer cidadão podia tentar tornar-se um samurai, bastando para isso adestrar-se no Kobudo (conjunto de artes marciais praticadas pelos samurais), criando desta forma uma reputação e procurando ser o mais habilidoso possível de forma a ser contratado por um senhor feudal.
Assim foi até ao Xogunato dos Tokugawa, iniciado em 1603, altura em que pertencer a classe dos samurais passou a ser um estatuto (talvez até uma casta, aparte do resto da sociedade de então). O título de "samurai" passou apartir desta altura a ser passado de pai para filho, criando-se uma linhagem.
Destacou-se nesta época medieval japonesa um grande samurai de nome Miyamoto Musashi, um guerreiro de origens humildes vindo do campo, que participou da batalha de Sekigahara e iniciou um longo caminho de aperfeiçoamento. Vindo Miyamoto Musashi a derrotar os Yoshioka em Kyoto e a vencer o grande Sasaki Kojiro, outro grande samurai.
No fim da era Tokugawa, os samurais eram burocratas aristocráticos ao serviço dos Daimyo, com as suas Katana (espada grande) servindo apenas para fins cerimoniais.
Com as reformas da era Meiji, no final do século XIX, a classe dos samurais foi abolida e foi estabelecido um exército nacional ao estilo ocidental. O rígido código samurai, chamado Bushido, ainda sobrevive, no entanto, na actual sociedade japonesa, bem como muitos outros aspectos do seu modo de vida de então.
Os Samurais, como classe social, deixaram de existir em 1868, com a restauração Meiji, quando o imperador retomou o poder do país. Porém o seu legado continua até nossos dias, influenciando não apenas a sociedade japonesa, mas também o ocidente.

1 comentário:

Ana disse...

Parabéns pelo blogue. Deveras interessante!!

WHO AM I ???

A minha foto
Wait until the war is over And we're both a little older The unknown soldier