quarta-feira, 3 de outubro de 2007

CIDADE DO PORTO


Com origem num povoado pré-romano, designava-se na época Romana Cale ou Portus Cale, sendo a origem do nome de Portugal. No ano de 868 ,Vimara Peres, fundador da terra portucalense, teve uma importante contribuição na conquista do território aos Mouros, restaurando assim a cidade de Portucale.
Em 1111, D. Teresa, mãe do futuro primeiro rei de Portugal, concedeu ao bispo D. Hugo o couto do Porto. Das armas da cidade faz parte a imagem de Nossa Senhora. Daí o facto de o Porto ser também conhecido por "cidade da Virgem", epítetos a que se devem juntar os de "Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta", que lhe foram sendo atribuídos ao longo dos séculos e na sequência de feitos valorosos dos seus habitantes, e que foram ratificados por decreto de D. Maria II de Portugal.
Foi dentro dos seus muros que se efectuou o casamento do rei D. João I de Portugal com a princesa inglesa D. Filipa de Lancaster (Lencastre). Orgulhando-se ainda de ter sido o berço do Infante D. Henrique, o navegador.

Devido aos sacrifícios que fizeram para apoiar a preparação da armada que partiu, em 1415, para a Conquista de Ceuta, tais como a oferta pela população do Porto aos expedicionários de toda a carne disponível, ficando apenas com as tripas para a sua alimentação, os naturais do Porto ganharam desde então a alcunha de "tripeiros", uma expressão mais carinhosa que pejorativa. Confeccionando com estas tripas um prato saboroso que é hoje em dia o prato tradicional da cidade, as "Tripas à moda do Porto", menu obrigatório em qualquer restaurante.
A Cidade do Porto desempenhou um papel preponderante na defesa dos ideais do Liberalismo nas batalhas do Século XIX, demonstrando elevada coragem no cerco que suportou por parte das tropas Miguelistas durante a Guerra Civil de 1832-1834 e os feitos valerosos cometidos pelos seus habitantes — o famoso Cerco do Porto — valeram-lhe mesmo a atribuição, pela rainha D. Maria II, do título — único entre as demais cidades de Portugal — de Invicta Cidade do Porto (ainda hoje presente no listel das suas armas), sendo frequentemente mencionada por - a «Invicta». Alberga numa das suas muitas igrejas - a da Lapa - o coração de D. Pedro IV de Portugal, que o ofereceu à população da cidade em homenagem ao contributo dado pelos seus habitantes à causa liberal.

1 comentário:

No Vember disse...

Bom post, sim senhor!!! E biba o Puôrto!! :))

WHO AM I ???

A minha foto
Wait until the war is over And we're both a little older The unknown soldier